Desfile Cívico das Escolas do Estado e Particulares comemorou o bicentenário da Independência do Brasil, 200 anos.

Em Ipu, um Desfile Cívico das escolas do Estado e particulares celebraram na noite desta terça-feira, 06 de setembro de 2022 o bicentenário da rica História da Independência do Brasil, 200 anos.

O evento contou com a participação do Prefeito de Ipu, Robério Rufino, da primeira dama do município Sra. Patrícia, da vice-prefeita Sra. Antonieta Martins e demais autoridades em palco cerimonial montado na Praça de Iracema, onde ocorreu o desfile na Rua Cel. Liberalino.

Várias escolas apresentaram faixas informativas sobre a independência do Brasil. Na manhã desta quarta-feira (07), o Chefe do Executivo participou da solenidade de hasteamento das bandeiras no Paço Municipal de Ipu.

Assim conta a história

A independência do Brasil, enquanto processo histórico, desenhou-se muito tempo antes do príncipe regente Dom Pedro I proclamar o fim dos nossos laços coloniais às margens do rio Ipiranga. De fato, para entendermos como o Brasil se tornou uma nação independente, devemos perceber como as transformações políticas, econômicas e sociais inauguradas com a chegada da família da Corte Lusitana ao país abriram espaço para a possibilidade da independência.

A chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil foi um episódio de grande importância para que possamos iniciar as justificativas da nossa independência. Ao pisar em solo brasileiro, Dom João VI tratou de cumprir os acordos firmados com a Inglaterra, que se comprometera em defender Portugal das tropas de Napoleão e escoltar a Corte Portuguesa ao litoral brasileiro. Por isso, mesmo antes de chegar à capital da colônia, o rei português realizou a abertura dos portos brasileiros às demais nações do mundo.

No final de 1821, quando as pressões das Cortes atingiram sua força máxima, os defensores da independência organizaram um grande abaixo-assinado requerendo a permanência de Dom Pedro no Brasil. A demonstração de apoio dada foi retribuída quando, em 9 de janeiro de 1822, Dom Pedro I reafirmou sua permanência no conhecido Dia do Fico. A partir desse ato público, o príncipe regente assinalou qual era seu posicionamento político.

Logo em seguida, Dom Pedro I incorporou figuras políticas pró-independência aos quadros administrativos de seu governo. Entre eles estavam José Bonifácio, grande conselheiro político de Dom Pedro e defensor de um processo de independência conservador guiado pelas mãos de um regime monárquico. Além disso, Dom Pedro I firmou uma resolução em que dizia que nenhuma ordem vinda de Portugal poderia ser adotada sem sua autorização prévia.

Essa última medida de Dom Pedro I tornou sua relação política com as Cortes praticamente insustentável. Em setembro de 1822, a assembleia lusitana enviou um novo documento para o Brasil exigindo o retorno do príncipe para Portugal sob a ameaça de invasão militar, caso a exigência não fosse imediatamente cumprida. Ao tomar conhecimento do documento, Dom Pedro I (que estava em viagem) declarou a independência do país no dia 7 de setembro de 1822, às margens do rio Ipiranga. (Dados do site smedijui.com)

Governo Municipal de Ipu

Segue o progresso continua

Notícias recentes

AMCI realiza abertura da “Semana Nacional do Trânsito” no município de Ipu

O Presidente da Autarquia Municipal de Trânsito, Capitão Edvan Farias, acompanhado por Agentes da AMCI e da Guarda Civil Municipal, protagonizou um evento marcante nesta data, percorrendo os diversos bairros da nossa cidade. Essa ação teve como principal objetivo dar início à Semana Nacional do Trânsito, que ocorre no período de 18 a 25 de